Sobre mim

Durante grande parte da minha vida, senti-me com pouco valor, insuficiente, e até culpada por ser da maneira que era. Era insaciavelmente perfecionista, sentindo que tinha que ser sempre “a melhor”, para que os outros gostassem de mim.

A nível externo, sentia-me frequentemente gorda, desajeitada e o medo de ser o centro das atenções era enorme! Como me custava ir experimentar roupa, ver-me ao espelho, comparar-me com outras mulheres e sentir-me deprimida por sentir que tinha de ser diferente para ter valor.

Sobre mim

Durante grande parte da minha vida, senti-me com pouco valor, insuficiente, e até culpada por ser da maneira que era. Era insaciavelmente perfecionista, sentindo que tinha que ser sempre “a melhor”, para que os outros gostassem de mim.

A nível externo, sentia-me frequentemente gorda, desajeitada e o medo de ser o centro das atenções era enorme! Como me custava ir experimentar roupa, ver-me ao espelho, comparar-me com outras mulheres e sentir-me deprimida por sentir que tinha de ser diferente para ter valor.

Sentia que gostava de mim em determinados momentos, nomeadamente quando conseguia uma boa nota num exame, quando era elogiada ou reconhecida, quando me comparava com alguém e me sentia “superior”, quando realizava uma performance de dança e me diziam o quão bem tinha dançado (durante vários anos pratiquei diferentes estilos de dança)…

Nesses momentos “bem-sucedidos”, sentia-me importante e merecedora de amor (ou melhor, o meu ego sentia-se dessa forma)!

Essas alturas representavam curtas folgas à minha crónica sensação de que não era suficiente.

Quando me apercebia que tinha errado à séria, quando me criticavam ou me comparava com alguém “melhor”, afogava-me em culpa e tornava-me na minha pior inimiga.

“Como fui capaz de agir daquela forma?”
“Como não fui capaz de ser/agir melhor?”
“Sou sempre a mesma coisa!”
“Porque é que nunca faço nada de jeito?”

Atormentava-me e castigava-me de tal forma, que sentia automaticamente que já não merecia coisas boas.

Percebi que é fácil sermos positivas e gostarmos de nós quando tudo corre bem, mas que é nos momentos de aflição, arrependimento e fragilidade, que verificamos a imensidão do amor que temos ou não por nós. E eu não o tinha.

A verdade é que, durante muito tempo, raramente sabia o que queria, tomar decisões era um tormento (queria mesmo que alguém decidisse por mim!), tinha dificuldade em dizer o que pensava e sentia (o que iriam os outros pensar?) e esforçava-me imenso para que todos gostassem de mim.

Expunha-me o menos possível, tinha pavor de ser rejeitada e, consequentemente, dificuldade nos relacionamentos. Para reprimir emoções como a tristeza, a culpa ou a frustração, comia muitos doces e salgados, alimentando um ciclo vicioso de: emoção desafiante – compulsão alimentar – culpa.

De facto, tudo se torna mais difícil quando jogamos contra nós mesmas!

E hoje em dia, será que sou completamente confiante, focada e equilibrada?

Claro que não! (e longe disso).

Continuo a trilhar o caminho de me tornar cada vez mais Eu e de me amar: curando feridas, libertando expectativas e perfecionismos, perdoando-me, celebrando o meu valor intrínseco e as minhas vitórias, aprendendo a cuidar do que sinto, a priorizar-me e apoiar-me, mesmo em momentos difíceis.

Ainda que nem sempre o consiga, hoje em dia levo no coração a intenção de me escolher a mim, de estar lá para mim e de surgir no mundo da forma única que sou.

Durante os últimos anos, fui adquirindo diversas ferramentas que me ajudaram não apenas a mim mas a muitas outras mulheres a abraçarem o seu valor, a assumirem a sua autenticidade, verdade e brilho pessoal.

Formações relevantes

  • Mestrado Integrado em Psicologia Clínica (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto | Facoltà di Psicologia dell’Università di Bologna)
  • Curso da Louise Hay – “Cura a tua vida, Conquista os teus sonhos (Espaço MagnaLuz)
  • Curso de Introdução às Terapias Cognitivo-Comportamentais de 3ªGeração – Mindfulness (Instituto Português de Psicologia)
  • Certificação em Eneacoaching ® (Instituto Eneacoaching)
  • Workshop “Mente sã em Corpo são: Mindfulness e equilíbrio” (MDC – Psicologia e Formação)
  • Workshop de Inteligência Emocional 1.0 (Emotiontalks)
  • Curso de Sessões Individuais do Renascer Feminino ® (Renascer Feminino)
  • Curso de Facilitadora de Círculos do Renascer Feminino ® (Renascer Feminino)
  • Curso de Facilitadora de Meditação Guiada e Mindfulness (Naturoterapias)

Eventos já dinamizados

  • Workshop “Renascer no Amor”
  • Círculo Renascer Feminino ®: “Limpeza e Cura do Útero”
  • Círculo Renascer Feminino ®: “Sou Mulher, Sou incrível!”
  • Círculo Renascer Feminino ®: “A Criança interior”
  • Círculo Renascer Feminino ®: “Aprender a amar-me”
  • Círculo Renascer Feminino ®: “Ativação do Coração”
  • Workshop “Mindfulness em 3 Passos” (3 edições)
  • Workshop “Introdução ao Mindfulness em 4 Passos”
  • Workshop “Gostar de mim faz bem!”
  • Workshop “Relaxar faz bem!”
  • Palestra “Nós, aqui e agora”
  • Palestra “Mente e coração”

O meu lado B

  • Sou praticante de Biodanza há mais de 3 anos, e este é um dos processos de desenvolvimento humano mais completos e eficazes que alguma vez conheci! Tendo sido sempre muito racionalizadora, ansiosa e perfecionista, a Biodanza ajudou-me a habitar o meu corpo, a desabrochar, a descobrir-me e a curar-me através do movimento do meu corpo e das vivências propostas em cada aula.
  • Adoro cheirar e ler livros, estar com os meus animais, caminhar descalça na Natureza, estar em silêncio, ver séries dramáticas e experimentar receitas novas na cozinha.
  • Meditar é uma prática que me faz viver a vida com mais amorosidade, significado e clareza.
  • Mesmo nos meus tempos livres, adoro ouvir palestras, podcasts e ler sobre os temas que me apaixonam e com os quais trabalho
  • Amo estar com as pessoas que me são importantes, mas preciso sempre de algum tempo para mim, para me cuidar e reenergizar.

O meu lado B

  • Sou praticante de Biodanza há mais de 3 anos, e este é um dos processos de desenvolvimento humano mais completos e eficazes que alguma vez conheci! Tendo sido sempre muito racionalizadora, ansiosa e perfecionista, a Biodanza ajudou-me a habitar o meu corpo, a desabrochar, a descobrir-me e a curar-me através do movimento do meu corpo e das vivências propostas em cada aula
  • Adoro cheirar e ler livros, estar com os meus animais, caminhar descalça na Natureza, estar em silêncio, ver séries dramáticas e experimentar receitas novas na cozinha
  • Meditar é uma prática que me faz viver a vida com mais amorosidade, significado e clareza
  • Mesmo nos meus tempos livres, adoro ouvir palestras, podcasts e ler sobre os temas que me apaixonam e com os quais trabalho
  • Amo estar com as pessoas que me são importantes, mas preciso sempre de algum tempo para mim, para me cuidar e reenergizar.