Sobre Mim

Durante grande parte da minha vida, senti-me com pouco valor, insuficiente, e até culpada por ser da maneira que era. Era insaciavelmente perfecionista, sentindo que tinha que ser sempre “a melhor”, para que os outros gostassem de mim.

Era desgastante ser a minha pior inimiga.

Sentia que “gostava de mim” quando conseguia uma boa nota num exame, quando era elogiada, reconhecida ou amada, quando me comparava com alguém e me sentia “superior”…

Nesses momentos, é como se o meu Ego se sentisse importante e merecedor de amor.

Essas alturas de “aparente bem-estar” e de “amor próprio ilusório” representavam curtas folgas à minha crónica sensação de que não era suficiente.

Quando me apercebia que tinha errado à séria, quando me criticavam ou me comparava com alguém “melhor”, afogava-me em culpa e tornava-me na minha pior inimiga. Chicoteava-me interiormente.

“Como fui capaz de agir daquela forma?”
“Como não fui capaz de ser/agir melhor?”
“Sou sempre a mesma coisa!”
“Porque é que nunca faço nada de jeito?”

Atormentava-me e castigava-me de tal forma, que sentia automaticamente que já não merecia coisas boas.

Percebi que é fácil sermos positivas e gostarmos de nós quando tudo corre bem, mas que é nos momentos de aflição, arrependimento e fragilidade, que verificamos a imensidão do amor que temos ou não por nós. E eu não o tinha.

A verdade é que, durante muito tempo, raramente sabia o que queria, tomar decisões era um tormento (queria mesmo que alguém decidisse por mim!), tinha dificuldade em dizer o que pensava e sentia (o que iriam os outros pensar?) e esforçava-me imenso para que todos gostassem de mim. Tinha dificuldade em dizer ‘Não’, não por ser altruísta, mas por ter medo de perder o amor do outro.

Expunha-me o menos possível, tinha pavor de ser rejeitada e, consequentemente, dificuldade nos relacionamentos. Para reprimir emoções como a tristeza, a culpa ou a frustração, comia muitos doces e salgados, alimentando um ciclo vicioso de: emoção desafiante – compulsão alimentar – culpa.

De facto, tudo se torna mais difícil quando jogamos contra nós mesmas!

E hoje em dia, será que sou completamente confiante, focada e equilibrada?

Claro que não! (e longe disso).

Continuo a trilhar o caminho de me tornar cada vez mais Eu e de me amar: curando feridas, libertando expectativas e perfecionismos, perdoando-me, aprendendo a apoiar-me, mesmo em momentos difíceis.

Ainda que nem sempre o consiga, hoje em dia levo no coração a intenção de me escolher a mim, de estar lá para mim e de surgir no mundo na minha versão mais autêntica.

Já não quero ser perfeita, quero apenas ser a Sílvia. Já não quero ser especial e importante, quero ter a liberdade de ser Eu.

Percebi que ninguém pode viver por mim. Ninguém pode lutar por mim, apenas eu. O amor dos outros cai em saco roto, quando não nos apoiamos e não nos amamos. Daí termos a sensação que nunca nada é suficiente: o amor dos outros, os bens, os objetivos, a comida, o reconhecimento externo… Porque apenas uma coisa pode preencher esse vazio: a presença e o amor por nós mesmas.

Ao longo dos últimos anos, conheci diversas abordagens e adquiri ferramentas que me ajudaram não apenas a mim, mas a muitas outras mulheres, a abraçarem o seu valor, a viverem a vida com mais leveza e alegria, a harmonizarem as suas feridas internas, e a expressarem ao mundo a sua essência autêntica!

Formações relevantes

  • Mestrado Integrado em Psicologia Clínica (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto | Facoltà di Psicologia dell’Università di Bologna)
  • Curso da Louise Hay – “Cura a tua vida, Conquista os teus sonhos (Espaço MagnaLuz)
  • Curso de Introdução às Terapias Cognitivo-Comportamentais de 3ªGeração – Mindfulness (Instituto Português de Psicologia)
  • Certificação em Eneacoaching ® (Instituto Eneacoaching)
  • Workshop “Mente sã em Corpo são: Mindfulness e equilíbrio” (MDC – Psicologia e Formação)
  • Workshop de Inteligência Emocional 1.0 (Emotiontalks)
  • Curso de Sessões Individuais do Renascer Feminino ® (Renascer Feminino)
  • Curso de Facilitadora de Círculos do Renascer Feminino ® (Renascer Feminino)
  • Curso de Facilitadora de Meditação Guiada e Mindfulness (Naturoterapias)
  • Formação Constelações Familiares para Terapeutas (Associação Ser + Feliz)

O meu lado B

  • Adoro dançar! A dança ajuda-me a habitar o meu corpo, a vir para o momento presente, a regressar à simplicidade que é sentir. Ajuda-me a florescer e a sentir-me livre e leve, através do movimento do meu corpo.
  • Adoro também cheirar e ler livros, estar com os meus amores-animais, caminhar descalça na Natureza, estar em silêncio, e experimentar receitas novas na cozinha!
  • Meditar é uma prática que já não dispenso na minha vida, pois faz-me viver em muito mais amor, clareza e prazer!
  • Mesmo nos meus tempos livres, adoro ouvir palestras, podcasts e ler sobre os temas que me apaixonam e com os quais trabalho.
  • Amo estar com as pessoas que me são importantes, mas preciso sempre de algum tempo para mim, para me cuidar e reenergizar.