Um Guia para o Perdão

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Tenho sido convidada pela Vida a olhar e integrar de forma mais profunda o tema do Perdão.

O Perdão, ou a ausência dele, é algo que, de facto, determina a alegria, a liberdade e a leveza com que vivemos a nossa vida.

Então hoje decidi falar um pouco sobre ele.

Porque é tão difícil perdoar?

– Temos a ilusão que perdoar é considerar que a ação que nos infligiram “não teve mal nenhum”, ou que, ao perdoar, estamos a submeter-nos emocionalmente ao outro

– O Ego perceciona que, ao “não perdoar” estamos no “controlo”, a “castigar” o outro (que, no nosso entender, é o que essa pessoa “merece”)

– O Ego alimenta-se da separação, e faz questão de relembrar (e até aumentar) as mágoas que percecionamos que o outro nos provocou

– Encaramos que, se perdoarmos, estamos a fazer algo benéfico pelo outro (quando é uma ação acima de tudo para o nosso próprio bem-estar e evolução)

– O “não perdoar” mantém-nos numa postura de vitimização e rigidez de pensamento, da qual se vai tornando cada vez mais difícil sair.

Como podemos vivenciar o processo de perdão?

– Toma o teu tempo, não tenhas pressa e não coloques emoções para debaixo do tapete

– Permite-te chorar, gritar, o que for que te permita expressar emocionalmente (fá-lo não a partir de uma postura de vítima, mas a partir da impotência e tristeza que sentes por aquela situação estar a acontecer)

– Quando te lembrares da pessoa em questão, procura percecionar que esse alguém, tal como tu, tem um lado Luz e um lado Sombra, e que o Ego tomou de tal forma conta dessa pessoa que a levou a ter ações menos boas

– Compreende que perdoar não é concordares com as ações que te magoaram, nem é quereres ser próxima da pessoa em questão. Perdoar é limpares a negatividade do vínculo entre ti e o outro, e é desprenderes-te energeticamente dessa pessoa para seguires em frente

– Finalmente, procura entender porque atraíste essa situação e a respetiva aprendizagem (nada acontece por acaso)

Repara nas Leis do Universo. Uma delas diz-nos que “Tudo está em ordem”, outra transmite-nos que “Tudo é um espelho”.

Se foste traída, questiona-te: “de que formas eu me traio?”; se foste enganada reflete: “onde não sou totalmente verdadeira e transparente?”; se foste abandonada, pergunta-te: “de que formas eu me abandono?”.

Além disso, e aceitando a existência de vidas passadas, desconhecemos muitas ações do nosso passado que levaram a determinadas consequências nesta vida (isto não é para nos culparmos, apenas para nos ajudar a entrar na energia da aceitação).

Quando sei que já perdoei?

– Quando olhas para trás e sentes que tudo aconteceu exatamente como tinha de acontecer.
– Quando te lembras da situação e não ficas alterada emocionalmente, de uma forma significativa.
– Quando, querendo ou não a tal pessoa na tua vida, desejas que ela seja feliz.
– Quando compreendes que somos todos peças no puzzle da vida uns dos outros, espelhando o que cada um ainda tem de trabalhar e curar em si.

Fez sentido para ti?

Um beijinho grande,

Sílvia

Imagem: People photo created by user18526052 – www.freepik.com

Deixa o teu comentário

Sobre Mim

O meu nome é Sílvia Xará. Após trabalhar com diferentes tipos de público e contextos, enquanto psicóloga clínica, e de frequentar várias formações na área do desenvolvimento pessoal, foi nas feridas da minha própria história que descobri a minha paixão e missão de vida.

O meu propósito é, assim, ajudar mulheres a (re)descobrirem o seu amor próprio, a cuidarem das suas emoções e a conectarem-se com o seu Feminino.

Posts mais recentes

Segue-me no Facebook

Os meus serviços